Uma pândega chamada debate

Debate na Globo

A verdade é que, com exceção de meia dúzia de pessoas que a dois dias da eleição ainda não têm convicção de quem irá votar e dos militantes dos diversos partidos, os debates são praticamente uma nulidade. Pouquíssimas pessoas passam a decidir seu voto e estas poucas raramente assistem ao debate todo. Isso dito, o debate na Globo foi, na verdade, uma pândega. Um show de humor. A grande diferença entre este e os demais debates foi que a razão dos risos, desta vez, não foram os nanicos, mas os candidatos com chances reais de vitória. Mas antes de falarmos da parte engraçada, vamos analisar o pouco de seriedade que restou. Entre os três principais...

Em qual Marina você vota?

{{Crédito da foto: Davacom }}

Depois de alterar o Programa de Governo {{após sofrer pressão do Malafaia – não acredite em mim}} diversas vezes, Marina Silva se consagra como a candidata que mais muda de opinião {{na história da humanidade?! Ok, sem exageros}} destas eleições. Também é preciso dizer que o blog declara voto em Dilma Rousseff, não temos a intenção, aqui, de te convencer de nada. Apenas demonstrar a instabilidade das propostas de Marina. Dito isso, vamos ao que interessa. A primeira e mais contundente mudança foi a óbvia e mais chamativa. A questão da homofobia e dos direitos LGBT. Vamos a uma pequena comparação: Casamento gay: Sem Malafaia: Apoiar propostas em defesa do casamento civil igualitário, com vistas...

Esqueceram de mim: Sistema carcerário

{{Cŕedito da Foto:  Amanda Perobelli}}

Antes de qualquer análise eleitoral feita por este Caipira safado, cabe constar que o blog {{e, portanto, o Caipira}} votará para a presidência de terras brasilis: Dilma Rousseff. - E por que declarar assim, seu Caipira? Ora, leitora peculiar e leitor desconfiado, porque desta forma a análise pode ser lida livre de desconfianças. A ideia é discutir, não te enganar. Parêntese fechado, vamos ao texto. Um dos principais erros, senão o maior, de Dilma Rousseff e do PT em 12 anos é a questão dos Direitos Humanos, sobretudo no que tange a política carceraria. Sim, as cadeias são responsabilidade dos governos estaduais. Não, isso não tira a responsabilidade do governo federal. É inadmissível que ainda...