Uma reflexão a respeito do porquê da existência de um feriado para a consciência negra e as diferenças sociais entre brancos e negros em ambientes similares, além, é claro, de uma leve espezinhada na imprenÇa.
Dia 20 de novembro é o Dia da Consciência Negra. Mais do que isso, dia 20 de novembro de 2010 é a data exata em que se lembra 315 anos da morte de Zumbi dos Palmares {{morto, portanto, em 20 de novembro de 1695}}.

Zumbi {{não confundir com zumbie}} como se sabe {{eu espero que se saiba}} foi um dos líderes de um dos quilombos que existiam no Brasil à época em que éramos colônia.


Zumbi foi alagoano e liderou um dos principais quilombos à sua época, com cerca de trinta mil negros escravos fugidos.
Zumbi, como Che Guevara, foi traído por um antigo companheiro e morto. Zumbi aprendeu o português e o latim, graças à igreja católica {{digo isso porque como critico muito a igreja parece que não vejo méritos nela, um dia escrevo sobre isso}}:
Baptized Francisco, Zumbi was taught the sacraments, learned Portuguese and Latin, and helped with daily mass
{{não acredite em mim}}

É impossível pensar em Cuba sem ao menos lembrar-se de Che Guevara. Quando falamos Brasil a primeira coisa que vem à cabeça é… futebol?

Vou assumir que sim, e aproveito para perguntar quais os principais craques do país, e porque há tanto negro jogando bola e tão pouco branco no futebol. E vou deixar no ar a reflexão sobre qual classe social domina tal esporte.

Algum tempo atrás li um post a respeito das quotas. O post é de autoria de Renata Winning e está no blog de Eduardo Valdoski do texto dela eu destaco o seguinte:

“Argumentos que desafiam  jovens afrodescendentes a ter a mesma pontuação que os brancos no vestibular e colocam em xeque a capacidade intelectual de quem passa no exame pelo sistema de cotas, são exemplos dessas novas formas de preconceito mascarado. Ignoram as Estatísticas que mostram que entre o branco e o negro de escola pública existem diferenças cruciais que dificultam a permanência na escola ou a continuidade dos estudos
{{não acredite em mim}}

Como sabem não gosto que acreditem em mim, tampouco gosto de acreditar nos outros. Por isso fui atrás das tais estatísticas citadas pela autora.

negro_branco
{{não acredite em mimnão vai, num blog, negar a importância do computador para a educação}}

Agora repare bem na diferença entre brancos e negros para Ensino Médio:

BrancosNegros
branco_medionegro_medio

Está claro que os brancos tem maior acesso à educação quando o assunto é Ensino Médio. Mas o problema é anterior, já no ensino fundamental a diferença aparece, é só clicar ali e conferir.

Notem que não toquei no assunto escravidão. Não é preciso. Não porque o fato não tem importância, mas porque a discriminação, o preconceito e mesmo as diferenças sociais entre brancos x negros tudo isso, embora originado na escravidão, está acima, está mais presente que a discussão e conhecimento a respeito da história da escravidão.

Está claro a todos os leitores que a escravidão existiu e foi grave. Por isso o objetivo aqui é ressaltar as consequências dela para nossa sociedade atual, e com um pouco de sorte fazer o leitor repensar a importância de um feriado negro.

Caso ainda não tenha ficado claro eu mostro e desenho:

penad08
{{não acredite em mim – PDF Pnad 2008}}

O fato não se dá apenas na diferença de escolaridade entre brancos e negros, repare na proporção: em 1992 a diferença era 2,1 em 2008 ela é de 1,8.

A definição da pesquisa de Venturi e Camino de 1995 diz, sobre as quotas:

As quotas são mecanismos extremos que visam a reversão de um quadro que, de outro modo, seria irreversível em termos das crónicas desigualdades de acesso dos diferentes segmentos raciais e étnicos da população a determinados espaços e oportunidades educacionais e profissionais.
{{não acredite em mim}}

Tenho descendência negra, meu avô é negro. Não sou, portanto, o melhor representante para falar da política de quotas, mas acredito ter deixado claro meus motivos em favor delas.

Quando a questão é a mídia fica mais simples verificar o preconceito. Pergunte-se quantos negros existem apresentando os jornais da Globo {{me lembro de 1 comentarista e 1 apresentador}}. Pergunte-se quantos negros falam de futebol na televisão brasileira, considere ex-jogadores também, quais deles são comentaristas e negros?!

Quando a questão é o feriado em si, creio que escravidão, diferenças sociais, diferença de escolaridade, preconceito são apenas alguns dos motivos que levam os negros a ‘merecerem’ o feriado.



Mas tenho certeza de que eles prefeririam ser tratados de maneira igual a ter um feriado.

Inscreva-se em nossa Newsletter

Inscreva-se em nossa Newsletter

Não perca nenhum conteúdo. Não se preocupe, seu e-mail não será repassado a ninguém.

Obrigado, sua inscrição foi feita!

Compartilhar

Compartilhe esse artigo!