Nobres coleguinhas, reproduzo aqui o texto do discurso de Mubarak, traduzido por mim mesmo, Caipira Zé do Mér. Fiquem a vontade para copiarem este post, mas sejam gentis, coloquem um link para o blog, ok?!
   A análise do discurso está aqui.



   Povo e mulheres do Egito, eu me dirijo a vocês hoje. Eu me dirijo à juventude do egito na praça de Tahrir. E, todo Egito, eu me dirijo a vocês com um discurso vindo do meu coração.

   Um discurso de pai para filhos e filhas.

   Eu gostaria de dizer que eu estou orgulhoso de vocês como símbolo de uma nova geração que anseia por mudanças e melhorias. E estão comprometidos com esta mudança e com a juventude, que está sonhando e fazendo o futuro.

   Em primeiro lugar eu gostaria de falar sobre todos os seus mártires que estão machucados; o sangue deles não será em vão e eu gostaria de salientar que não vou me abster de punir todos aqueles que estão por trás destes crimes com toda severidade. Aqueles que cometeram crimes contra a nossa juventude serão julgados segundo nossa corte e leis. Eles serão severamente punidos. E eu quero me dirigir às famílias destas vítimas inocentes: me entristece muito e me parte o coração o que aconteceu com eles. Da mesma maneira que vocês sentiram estes sofrimentos.

   Eu gostaria de dizer que minha resposta para a sua voz, sua mensagem, para suas demandas é um compromisso irrevogável e eu estou fortemente determinado com aquilo que eu me comprometi com vocês, com toda a seriedade e franqueza. E eu estou inclinado a fazê-lo sem nenhuma hesitação, nenhuma hesitação.

   Este compromisso é fruto de um severo comprometimento, um forte compromisso, na sua confiança.

   E todas as suas demandas são legítimas e corretas. Todo sistema político comete erros, todo Estado comete erros. O mais importante é aprender com estes erros e corrigí-los o mais breve possível e levá-los em conta.

   Eu gostaria de dizer que, como presidente da república eu não estou envergonhado de ouvir à juventude do meu país e responder a ela.

   Contudo, o grande constrangimento e o que é errado, as coisas que eu não vou aceitar nunca, é ouvir falas vindas do exterior, por qualquer razão ou desculpa.

   Jovens do Egito, filhos do Egito, irmãos, cidadãos, eu expressei com clareza minhas intenções de não participar das próximas eleições.

   Tenho realmente empenhado esforço neste país há mais de 60 anos, na guerra e na paz.

   Eu exprimo meu compromisso com isso e expresso promessa semelhante e um compromisso de seguir em frente – cumprir minha responsabilidade de proteger a Constituição, os interesses do povo, até que a transferência de poder e responsabilidade estejam nas mãos de seja quem for que ganhar as eleições em setembro, numa disputa justa e livre que eu garantirei com transparência e independência.

   Esta é uma promessa que fiz diante de Deus e da nação.

   E eu protegerei esta promessa até que, juntos, levemos o Egito à segurança.

   Manifestei planos para sair desta crise e também para implementar as demandas da população com a legitimidade da constituição e de uma forma que traga estabilidade de nossa sociedade, a demanda de nossos filhos e, ao mesmo tempo, apresentar um acordo de transição pacífica de poder com um diálogo responsável entre todas as forças da sociedade e com todos – com maior grau de franqueza e transparência.

   Apresentei esta visão, comprometida com a minha responsabilidade de tirar o país desta dificílima situação e o levarei a ganhar isto, um após o outro, hora pós hora; procurando a ajuda de todos que querem um Egito pacífico e estável.

   Eu apresentei para implementá-lo.

   E esses planos devem ser implementados, com toda a racionalidade, pelas nossas Forças Armadas.

   Nós temos, de fato, iniciado um diálogo nacional construtivo, com a juventude de nosso país, que liderou um clamado pela mudança e por todas as forças políticas.

   Esse diálogo resultou no acordo de princípios em pareceres e posições que nos colocou no caminho, no caminho certo para sair desta crise e nós devemos continuar este diálogo de modo a obter do quadro um plano real, como uma rodovia clara, dentro de um calendário preciso e fixo.

   Eu encaro dia após dia uma transição pacífica de poder que começa agora e se encerrará em Setembro.

   Deste diálogo nacional foi feita a formação de uma constituinte para analisar as alterações necessárias das leis e da constituição.

   Foi também acordado a formação de uma comissão que vai acompanhar sinceramente os avanços com aquilo com que se comprometeram perante o povo.
 
   Eu estava ansioso para que ambas as comissões fosse feitas de personalidades Egípcias dignas da tarefa – por aqueles que tem experiência e inspirem confiança.

   Composto por líderes e especialistas.

   Além de tudo isso, o número de mártires que perdemos entre os filhos do Egito durante este triste acontecimento tem realmente ferido nossos corações.

   Tenho manifestado de imediato minha – pessoas instruídas encarregaram-se na última semana de realizarem um inquérito e os resultados serão levados adiante, aos promotores, para que eles possam tomar as medidas legais e constitucionais, conforme requerido.

   Ontem recebi o primeiro relatório sobre as prioridades constitucionais, as emendas constitucionais, como proposto pela comissão que eu tenho; composta pelo Judiciário e por juristas, para estudar as alterações constitucionais e legais, conforme necessário.

    E, em resposta às conclusões do relatório da Comissão e de acordo com as competências atribuídas ao presidente da república estão observando as cláusulas 88, 93 e 89.

   Além do artigo 178.

   Isto é sublinhando, ao mesmo tempo que outras alterações serão implementadas de acordo com a necessidade e conforme a necessidade.

    Estas alterações podem ser guardados para as eleições atuais e também para fazer com que a realização das eleições sejam livres e transparentes.

    Cabe ao Judiciário buscar a identidade dos membros dos parlamentos e as condições apresentadas para as eleições.

   Tanto para o conselho, de suprimir o artigo 168 da Constituição, é necessária à proteção do país contra os perigos do terrorismo e da garantia dos direitos e liberdades, as liberdades civis dos cidadãos, que nos permita abrir as portas para que seja revogada a lei de emergência, de acordo com as circunstâncias certas e a prevalência de estabilidade, para que possamos fazer isso.

&nbs
p;  Cidadãos, a prioridade agora é recuperar a confiança entre os egípcios – entre os egípcios e ter confiança na nossa economia ea nossa reputação internacional e o fato de que as mudanças que iniciaram irão continuar e não há caminho de volta aos velhos dias.

   O Egito está passando por momentos difíceis e não podemos permitir que ele continue assim.

   Os danos causados à nossa economia e em uma base diária, esse dano é diário, levará o Egito a conduzir os mesmos jovens que estão clamando por mudanças e reformas para situações nas quais seriam os primeiros afetados.

   Estes tempos não dizem respeito a mim.

   A situação não é sobre Hosing Moubarak, a realidade agora é sobre o Egito, seu presente, o futuro dos seus filhos. Todos os egípcios estão na mesma trincheira, portanto, devemos continuar o nosso diálogo nacional, que já começaram com o espírito de grupos mas não de inimigos.

   Para que o Egito possa superar esta situação e para que possamos recuperar a confiança na nossa economia e para dar a estabilidade e a paz dos cidadãos e para que a vida pode voltar ao normal nas ruas.

   Como os jovens de atuais do Egito, eu também era um jovem quando entrei para o exército e quando eu jurei lealdade à nação e sacrifícios para a nação. Eu passei a minha vida defendendo terra do Egito e sua soberania.

   Vi suas guerras, suas derrotas e vitórias.

   Eu vivi dias de ocupação e de frustração e dia da Libertação.

   Aqueles foram os melhores dias, o melhor dia da minha vida é quando eu levantei a bandeira do Egito sobre o Sinai.

   E quando eu pilotei aviões.

   Não houve dia em que fui afetado por  pressões externas.

   Eu respeito – eu professo paz e eu trabalhei para a Estabilidade do Egito e da paz e eu trabalhei para o progresso do Egito e do progresso do seu povo.

   Meu objetivo nunca foi de procurar a força e tomar o poder.

   Eu acredito que a maioria do povo egípcio sabe quem é Hosing Mubarak e me dói a maneira como disseram algumas pessoas de mim e do meu próprio país.

   Enfim, estou ciente dos perigos que enfrentamos e da minha crença que o Egito está passando por uma fase muito importante na sua história, que obriga a todos a colocar os interesses da Nação em primeiro lugar e colocar o Egito acima de qualquer consideração.

   Eu pensei na transferência de poderes do presidente para o vice-presidente de acordo com a Constituição, eu estou muito ciente de que o Egito vai sair dessa crise.

   Seu povo não será ferido.
   Ele vai ficar em pé novamente.
   [por gentileza se levantem] e o orgulho Egípcio e sua Única, significativa, Dignidade eterna.
   Estamos aqui há mais de 7 mil anos.

   Este espírito vai viver em nós, enquanto Egito e seu povo, esse espírito vai viver em nós, enquanto o Egito e seu povo vive, todos: trabalhadores; camponeses; intelectuais; terão esse espírito, esse espírito permanecerá nos corações dos nossos idosos, jovens, nossos muçulmanos, coptas, e até mesmo na mente daqueles que não nasceram ainda.

   Mais uma vez, gostaria de dizer que eu vivo para o bem desta Nação.

   Para proteger as suas responsabilidades e os egípcios irão prevalecer acima de qualquer um e todos.
{{do inglês – não acredite em mimEl País}}
Inscreva-se em nossa Newsletter

Inscreva-se em nossa Newsletter

Não perca nenhum conteúdo. Não se preocupe, seu e-mail não será repassado a ninguém.

Obrigado, sua inscrição foi feita!

Compartilhar

Compartilhe esse artigo!