Myrian Rios é uma deputada do PDT. O rostinho dela é esse aqui:

Crédito da foto: {link url="http://www.flickr.com/photos/34871020@N02/3331055884/sizes/o/in/photostream/" target="_blank"} Canção Nova São José do Rio Preto {/link}

Pois bem, eis que Myrian Rios, no auge de sua sabedoria e amor ao próximo {{é o que está na bíblia, ou não?!}} resolve demonstrar o motivo pelo qual ela é contra a PEC 23/2007 {{uma espécie de PL 122 do Rio, como diz o vídeo abaixo}} e, bem, saiu isso aqui:

Não é preciso ter estômago para assistir a todo o vídeo, eu faço isso por você e destaco os pontos, digamos… contraditórios do tal discurso {{digno de um psiquiatra dar uma olhada…}}. Bem logo antes dos 30 segundos a pessoa me solta um bom e velho gerundismo daqueles que só um atendente da telefónica seria capaz, algo como:

Hoje, às 16h30min nós vamos estar votando

Tudo bem, não vamos ser contraditórios nós também, já que eu mesmo defendo a fala como uma coisa livre das amarras da gramática, mas é que dói o ouvido. Ela continua, vamos ao que interessa, aos 50 segundos:

Queria dizer para as pessoas que me acompanham aí em casa (…)para as pessoas que me acompanham aqui no plenário (…) que eu não sou uma pessoa preconceituosa, e não discrimino…

Pois bem, fiquei eu esperando argumentos apenas mal informados, posto que, em minha humilde opinião a lei é necessária, mas ela continua {{para nossa sorte… digo azar… digo… ah, sei lá…}}:

Da mesma forma que eu prego o amor e o respeito ao próximo eu quero também ser respeitada em minhas decisões (…)ora, se somos todos IGUAIS com os mesmos direitos, eu também tenho que ter o direito de não querer um funcionário homossexual na minha empresa, se for da minha vontade.

Sim, senhoras e senhores, a mulher disse isso mesmo. Está lá, por volta de 2 minutos e 10 segundos do vídeo. Para a senhora deputada ter direitos iguais é poder não contratar alguém homossexual. Aí me pergunto se ter direitos iguais é também poder não contratar um envangélico, o que acham os senhores?

Uma lástima. Mas ela continua, ela corre feito ganso em direção ao precipício oratório, diz o ser humano:

Digamos que eu tenha duas meninas em casa, duas filhas. E eu contrate uma babá. E essa babá se mostra que a orientação sexual dela é ser {{ênfase}} lésbica. {{pausa}} É a opção dela. {{pausa}} Ela escolheu, e ela é livre {{absurdo, diz aí?!PRENDAM AS LÉSBICAS!!! Ok, sem mais piadas, seguimos}}.(…) Se a minha orientação não for essa, for contrária e quiser demitir ela, eu não posso. Ué, são os mesmos direitos! O direito que essa babá tem de se mostrar lésbica eu tenho que ter como mãe de não permitir essa babá lésbica perto das minhas filhas. Só que com essa PEC eu não tenho esse direito.

Achou muito? Pois o melhor vem agora…

Eu vou ter que manter essa babá…e sabe deus se ela não vai, inclusive, cometer a pedofilia com elas e eu não vou poder fazer nada.

Peraí, a mulher disse que a lésbica, por ser lésbica, vai cometer a pedofilia?!?! Jerus amado…

Então vamos lá…

Pedofilia, amiguinhos, é crime. Um pedófilo, em geral homem, pode ser visto como um ser doente ou criminoso, tanto faz. Neste país onde vivemos, quando provado, pedofilia é crime. Ou seja, ainda que uma lésbica cometa pedofilia, ela será presa.

Mas, o que faltou explicar, Myrian Rios, é:

De onde diabos você tirou que lésbicas tem tendência à pedofilia?!

Como se fosse piada, ela ainda insinua que a orientação sexual pode ser passada de família para família {{quem em sã consciência, num mundo escroto como o nosso, escolhe ser homossexual?!}} ou como uma doença, que é transmissível pelo contato social.

E estamos no século XXI. É ou não é Inacreditável?!

 

PS: Tem um ato falho imperdível nos 6 minutos e 10 segundos!

Inscreva-se em nossa Newsletter

Inscreva-se em nossa Newsletter

Não perca nenhum conteúdo. Não se preocupe, seu e-mail não será repassado a ninguém.

Obrigado, sua inscrição foi feita!

Compartilhar

Compartilhe esse artigo!