Se é a sua primeira vez por aqui, saiba que esta é a 3ª edição do Semanal do Retrocesso Paulistano. As edições um e dois você encontra neste mesmo blog. A semana paulistana foi lotada de retrocessos, confira.

Cracolândia

Depois de anunciar que o programa De Braços Abertos terá o seu fim, inclusive com a implantação de um sistema antidoping, João Dória Jr colocou em prática uma ação planejada na 1ª semana de janeiro, conforme você pode conferir nesta reportagem da Agência Democratize.

A ação contou com bombas de gás lacrimogêneo, balas de borracha e coordenação entre Polícia Civil, GCM e Polícia Militar, tudo dentro da noção “Cidade Linda”, o higienismo como carro chefe do governo. A ação teve como um dos coordenadores, Felipe Sabará, dono de uma comunidade terapêutica no interior de São Paulo.

Grafitti e pixo

João Dória Jr resolveu apagar o maior corredor de grafiti do mundo, na avenida 23 de maio. Confira o vídeo {{edição: Ana Petta}}:

“É triste ver tanto esforço menosprezado e desrespeitado”  Mauro Neri

{{apagaram tudo… – não acredite em mim – folha}}

Como se fosse pouco, a tinta usada é de baixa qualidade {{ou o serviço executado preferiu economizar nas “demãos”}}, confira o vídeo:

 

Chuvas e Cidade “Linda”

Enquanto João Dória sai por aí vestido de gari, a cidade mostra que essa história de limpeza para mesmo é no higienismo. Na última sexta-feira, duas pessoas morreram em razão das chuvas.

Em Perdizes, na rua Cardoso de Almeida {{próximo à PUC}}, um homem de 46 anos morreu afogado.Na Liberdade um morador de rua também se afogou. Ele foi encaminhado à Santa Casa {{hospital que prefere investir em especulação imobiliária a investir em saúde}}.

E o que disse o prefeito? Disse que é melhor ficar em casa. Jeniu.

{{o piscinão que será inaugurado, é obra de Haddad – não acredite em mim – G1}}

 

Populismo barato

Para quem ficou indignado com a capa da revista Vogue {{não acredite em mim – O Povo}}, colocando a Cleo Pires e o Paulinho Vilhena fingindo serem deficientes, essa aqui é uma notícia bem peculiar. João Dória Jr resolveu brincar de ser cadeirante. A desculpa é verificar as dificuldades pelas quais passa um cadeirante em São Paulo.

Ele poderia simplesmente pedir a uma organização que cuida destes temas, ou aos seus secretários que fizessem um estudo. Ou ainda simplesmente acompanhar uma cadeirante fazendo o trajeto. Mas como qualquer populismo é pouco quando se trata de João Dória, ele resolveu sentar numa cadeira, tirar foto e andar 50 metros ao lado de uma cadeirante, para fingir que se preocupa.

 

Mais higienismo

João Dória Jr, depois de tentar esconder a população de rua, conforme visto nesta edição do semanal, agora ele foi além e revogou o decreto de Haddad sobre a GCM recolher os pertences dos moradores de rua.

{{não acredite em mim – Exame}}

 

Confira as diferenças entre a gestão Haddad e Dória Jr, neste gráfico feito por Leandro Ferreira {{Leandro é mestrando em políticas públicas e assessor do ex-senador e agora vereador, Eduardo Suplicy}}:

Esquecemos de alguma coisa? Não deixe de nos avisar nos comentários.

Inscreva-se em nossa Newsletter

Inscreva-se em nossa Newsletter

Não perca nenhum conteúdo. Não se preocupe, seu e-mail não será repassado a ninguém.

Obrigado, sua inscrição foi feita!

Compartilhar

Compartilhe esse artigo!